Qual a diferença entre os principais indicadores de inflação nos EUA? 

CPI, PCE e PPI: O que esses indicadores de inflação mensuram? Qual a diferença entre eles? E qual é o mais importante?
Indicadores de Inflação
Compartilhe:

Navegue pelos principais tópicos

CPI, PCE e PPI: O que esses indicadores de inflação mensuram? Qual a diferença entre eles? E qual é o mais importante? 

Indicadores de Inflação nos EUA 

Quando comecei a acompanhar o mercado americano, me deparei com estes três indicadores de inflação: 

  • CPI: Consumer Price Index (Índice de Preços ao Consumidor); 
  • PCE: Personal Consumption Expenditures (Índice de Despesas de Consumo Pessoal); 
  • PPI: Producer Price Index (Índice de Preços ao Produtor). 

Haja vista que a agenda de divulgação de indicadores econômicos nos EUA é recheada de dados, confesso que, no início, me afogava neste mar de informações. Apesar da confusão, nunca deixei de acompanhar esses indicadores, por entender o impacto que a inflação tem na economia, como, por exemplo, no câmbio, assunto que foi tema do meu último artigo — Qual o preço justo para o dólar? 

Dando um passo para trás e estudando mais afundo os conceitos, pude compreender melhor a função de cada um desses indicadores e o que eles, de fato, mensuram. Inclusive, é possível traçar paralelos com os indicadores de inflação brasileiros, tendo em vista que os conceitos econômicos são universais. 

CPI – Consumer Price Index 

“O Consumer Price Index (CPI) consiste em uma família de índices que medem a variação de preços experimentada pelos consumidores urbanos. Especificamente, o CPI mede a variação média dos preços ao longo do tempo de uma cesta de mercado de bens e serviços. A cesta inclui desde alimentos até automóveis e aluguel.” 

Essa é a definição de acordo com o Bureau of Labor Statistics, agência do governo federal norte-americano responsável por mensurar estatísticas econômicas trabalhistas, dentre elas o próprio CPI. Ele é amplamente utilizado como índice de custo de vida, o que o torna semelhante ao principal indicador de inflação brasileiro, o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo). Abaixo, temos a cesta de produtos e serviços apurados através do CPI: 

Fonte: Bureau of Labor Statistics 

Elaboração: Statista 

PCE – Personal Consumption Expenditures 

“Ele [PCE] observa as variações de preços de bens e serviços adquiridos pelos consumidores nos Estados Unidos. É semelhante ao CPI-U (CPI focado em consumidores urbanos) do Bureau of Labor Statistics. Os dois índices, que têm seus próprios propósitos e usos, são construídos de maneira diferente, resultando em diferentes taxas de inflação. 

O índice de preços PCE é conhecido por capturar a inflação (ou deflação) em uma ampla gama de despesas dos consumidores e por refletir mudanças no comportamento do consumidor.” 

A definição acima de PCE é do Beureau of Economic Analysis, agência do departamento de comércio americano responsável por mensurar estatísticas econômicas como o PCE. Note que o PCE busca mensurar a mesma coisa que o CPI, porém com uma metodologia diferente, pautada em uma vasta e dinâmica cesta de produtos, a qual visa refletir de forma mais precisa as mudanças de comportamento do consumidor americano médio ao longo do tempo, o que tende a gerar resultados mais condizentes com a realidade. 

Enquanto o CPI é mensurado através de pesquisas de preço de uma cesta de bens e produtos, o PCE é apurado através de outros índices de preço, entre eles o próprio CPI, o qual tinha um peso superior a 70% na composição do PCE em 2022: 

Fonte: Beureau of Economic Analysis 

PPI – Producer Price Index 

“O Producer Price Index (PPI) é uma família de índices que mensura a variação média ao longo do tempo nos preços de venda recebidos pelos produtores domésticos de bens e serviços. Os PPIs medem a variação de preços do ponto de vista do vendedor. Isso contrasta com outras medidas, como o CPI, que medem a variação de preços do ponto de vista do comprador. Os preços dos vendedores e dos compradores podem diferir devido a subsídios governamentais, impostos sobre vendas e consumo, e custos de distribuição.” 

Essa definição é do Bureau of Labor Statistics, o qual também mensura o PPI. Diferente dos indicadores apresentados anteriormente, o PPI reflete a inflação pela ótica do produtor doméstico americano. Por isso, o indicador brasileiro mais semelhante ao PPI é o IPP (Índice de Preços ao Produtor), apesar de que poderíamos também fazer uma analogia com o IGP-M

Qual o impacto do PPI no CPI? 

É intuitivo esperar que o PPI seja um indicador antecedente, que possua algum grau de predição, do CPI. Inclusive, a teoria da Inflação de Custos embasa este argumento. Contudo, não é isso que observamos ao analisar os dados: 

CPI x PPI – Andam lado a lado 

Fonte: Federal Reserve Bank St. Louis 

Elaboração: Fisher Investments 

Note que a correlação entre os indicadores é bastante elevada, porém indica que o PPI não conduz o CPI. O que podemos concluir a partir do gráfico é que a oscilação do PPI é mais intensa. Ou seja, a inflação dos produtores é mais volátil, enquanto a inflação dos consumidores finais é suavizada. 

Qual a diferença entre o CPI e o PCE? 

Assim como mencionei, ambos buscam auferir a inflação sob a ótica do consumidor. Contudo, o CPI mensura apenas as variações dos preços de produtos e serviços pagos pelas próprias famílias, enquanto o PCE reflete a flutuação de tudo que foi consumido pelas famílias, mesmo que tenha sido pago por terceiros, empresas e governo, em benefício das famílias. Ou seja, o PCE é um indicador mais abrangente, haja vista que constitui cerca de 70% do PIB

Por consequência, a composição dos indicadores difere. Ademais, o PCE é mais dinâmico do que o CPI, tendo em vista que altera sua composição trimestralmente, enquanto o CPI altera apenas bienalmente. Observe as principais diferenças entre eles: 

Fonte: Beureau of Economic Analysis 

Por um lado, desde 2012 o Federal Reserve avalia a inflação através do PCE (inflação meta de 2% a.a.). Por outro, o CPI é usado para reajustar contratos, como aluguéis, salários, seguro social e até ativos financeiros, como as TIPS (Treasury Inflation Protected Securities). Apesar de suas diferenças, a correlação entre o CPI e o PCE foi de 0,99 desde 2000. 

Afinal, qual indicador é melhor: CPI ou PCE? 

Tal qual o Fed, julgo que o PCE é melhor para mensurar a oscilação de preços na economia americana de forma dinâmica ao longo do tempo. Note, pela série histórica apresentada abaixo, que a rigidez da cesta do CPI faz com que esse indicador superestime o real valor da inflação ao longo do tempo. 

Inflação ao Consumidor: CPI x PCE 

Fonte: BEA e BLS 

Elaboração: Federal Reserve of St. Louis 

Isso acontece, pois o CPI demora muito para capturar o efeito substituição, enquanto o PCE captura rapidamente. Veja, uma vez que os preços de determinados bens sobem, os consumidores tendem a substituí-los por alternativas mais baratas. Sabendo disso, o BLS elaborou o Chained CPI, o qual leva o efeito substituição em conta mais rapidamente. Por isso que ele anda mais em linha com o PCE.  

Conclusão 

Entendendo o conceito, a composição e as funções dos indicadores de inflação mencionados, fica mais fácil analisar e comparar seus respectivos resultados. Mais importante do que isso, tentar se antecipar ou reagir melhor ao Fed – seu posicionamento e comunicado nas reuniões do FOMC. 

Tanto a inflação ao consumidor, quanto a do produtor são importantes. Com a ressalva de que a inflação pela ótica do consumidor tem maior relevância. Além disso, vimos que o PCE é o indicador de inflação perseguido pelo Fed, portanto você como investidor também deve olhá-lo de perto. Contudo, o CPI é sempre divulgado antes: na segunda semana do mês, enquanto o PCE é divulgado apenas no final do mês. Por isso, a imprensa dá maior cobertura ao CPI

Apesar de talvez contradizer a teoria, isso é cronologicamente esperado. Portanto, sugiro que você como investidor acompanhe ambos de perto, sabendo que o CPI tende a ser marginalmente superior ao PCE, superestimando a real oscilação de preços. 

Conteúdos recomendados

TUDO SOBRE INVESTIMENTOS

Invista em conhecimento

As últimas notícias sobre o que movimentou o mercado e a economia, e análises exclusivas de especialistas.

Confira nossa seleção de colunistas responsáveis por produzir artigos sobre investimentos, atualidades econômicas, análises especializadas e dicas para suas finanças pessoais!
Abra sua conta e tenha acesso a melhor assessoria financeira do Centro-Oeste

Preencha para realizar o seu cadastro inicial com a VOGA

Seus dados
Que serviço você busca?
Tem conta no BTG Pactual?
Você já investe? Em média, quanto você já possui aplicado em investimentos?
Invista em conhecimento
As últimas notícias sobre o que movimentou o mercado e a economia, e análises exclusivas de especialistas.
Homem branco apontando na tela um gráfico crescente com uma seta, demonstração dos resultados de quem acompanha nossa newsletter.

Cadastro efetuado com sucesso para receber a nossa Newsletter!

Cadastro VOGA efetuado!

Você agora faz parte da nossa rede de credenciados para receber as nossas comunicações, oportunidades, notícias e ofertas.

Escolha como deseja seguir